PLÁSTICA DE NARIZ

A rinoplastia é a cirurgia plástica mais antiga e está entre as mais realizadas em todo o mundo. Esta cirurgia tem por objetivo as correções inestéticas do nariz, seja por herança genética ou traumatismo. Por envolver várias estruturas que se relacionam entre si (osso, cartilagem, tecido celular subcutâneo e pele), a rinoplastia é considerada a cirurgia plástica mais complexa, exigindo completo domínio das técnicas utilizadas. Por este motivo e dependendo do tipo de pele, hereditariedade, idade, além de outros fatores, cada nariz tem sua particularidade. Para uma rinoplastia ser bem-sucedida, são requisitos básicos a instrução franca e abrangente ao paciente, orientação sobre as expectativas e a criatividade artística envolvida, lembrando que a cirurgia estética do nariz é o resultado de técnica e arte. Este pensamento está baseado em quase 3 décadas de experiência.

Através de fotos tiradas previamente, estuda-se a melhor harmonia com os outros elementos da face (perfiloplastia), esclarecendo dúvidas e desmistificando conceitos em relação ao procedimento. A essência da rinoplastia atualmente é alcançar um resultado sutil, melhorando a deformidade indesejada, porém sem o estigma de nariz operado, isto é, deixar o nariz com o aspecto mais natural.

A rinoplastia pode ser realizada a partir dos 15 anos de idade, onde já se encontram formadas todas as estruturas do nariz. A anestesia pode ser geral ou local, em regime ambulatorial, isto é, sem internação hospitalar. Usualmente, é realizada via endonasal, sem cicatrizes externas; entretanto, algumas vezes, para obter melhores resultados, necessitamos uma abordagem minuciosa que proporcione maior precisão e riqueza de detalhes, principalmente nos casos de ponta nasal desproporcional e em cirurgias onde existe a necessidade de colocação de enxertos ou reconstrução (rinoplastias secundárias). Nestes casos, faz-se uma pequena incisão na columela, porção vertical que divide as duas narinas. Esta cicatriz resultante será imperceptível após os primeiros meses. Em alguns casos, também poderá ser necessário incisar as asas nasais para diminuí-las quando estas estiverem de tamanho exagerado, alargadas, ficando pequena cicatriz junto às mesmas, porém, com resultado inaparente com o passar do tempo.

Geralmente, a rinoplastia está associada à cirurgia funcional do nariz, já que não raro, o desvio septal nasal se encontra presente, além da hipertrofia dos cornetos nasais, ocasionando obstrução do fluxo aéreo. É importante comentar que toda rinoplastia deve ser realizada com a atenção voltada também para a função respiratória nasal. No intuito de alcançar um perfil harmônico para a face, outras cirurgias poderão ser realizadas concomitantemente à rinoplastia, como a otoplastia, a blefaroplastia e a mentoplastia. Embora possamos prever o resultado desejado, sempre estaremos limitados por adaptações cicatriciais do próprio organismo, necessitando algum retoque ou ajuste em 10 a 15% dos casos, mesmo em mãos de profissionais experientes.

Na cirurgia plástica nasal são manuseadas em torno de 17 estruturas, cada uma tendo uma característica própria de cicatrização, que pode variar de 6 a 12 meses aproximadamente. Se diagnosticada alguma necessidade de correção ou ajuste após este período, não serão cobrados honorários médicos, pois consideramos complementação do tratamento efetuado. Todavia, ao paciente cabem as despesas hospitalares ou de bloco cirúrgico.

Não utilizamos o tamponamento nasal há mais de 15 anos e isto proporcionará, consequentemente, em um pós-operatório mais confortável. Durante a recuperação poderá ocorrer alguma obstrução nasal nos primeiros dias, em maior ou menor grau, dependendo das correções do septo e estruturas endonasais para aqueles casos de necessidade de cirurgia funcional, mas com rápida resolução e adaptação por parte do paciente.

Mesmo que a rinoplastia seja conduzida com aprimorada e moderna técnica, poderá ocasionar hematoma e edema facial (inchaço), porém, extremamente menores como existiam no passado. Em decorrência do trauma cirúrgico atualmente ser ínfimo, reduzido, comparado da maneira como se realizava este procedimento, muitos pacientes ficam impressionados com o resultado de mínimo hematoma, até mesmo inexistente em muitos casos e edema suave. Observada todas estas considerações, podermos afirmar com muita satisfação, para todos os pacientes, que não existirá nenhuma dor no pós-operatório. Tudo isto nos gratifica e nos estimula para seguirmos no contínuo aprimoramento da técnica operatória e dedicação máxima.

Pesquisas e recursos na internet fornecem apenas informações gerais e nunca serão um substituto para uma consulta pessoal, como realizar uma história médica completa e examiná-lo. Será a oportunidade de tirar as dúvidas, avaliar os resultados esperados e para que se sinta confortável e confiante com o cirurgião.

Recomendações
Pré e Pós-operatórias:

  • Evitar aspirina 3 semanas antes da cirurgia. Não fumar durante os 20 dias que antecedem a cirurgia.
  • Estar em jejum pelo menos 8 horas antes do procedimento cirúrgico.
  • A alta estará prevista após algumas horas e dependerá do tipo de cirurgia realizada, o tempo e o trabalho realizado. Para auxiliar na fixação dos tecidos são colocados micropore e uma pequena placa metálica sobre o nariz, os quais serão removidos no sétimo dia, seguindo-se mais alguns dias com novo micropore sobre o dorso nasal.
  • Os pontos internos são absorvidos e os externos, se existirem, serão removidos 3 a 5 dias após a cirurgia. Atualmente, não utilizamos mais o tamponamento nasal que no passado gerava desconforto e incomodo pós-operatório.
  • Deve-se evitar bater no nariz e afastar-se do sol durante 30 dias. O pós-operatório é indolor e geralmente é recomendado um período de repouso entre 7 a 10 dias.
  • Recomenda-se, principalmente nos primeiros 3 dias, o uso de compressas de chá de camomila frias sobre os olhos, sendo nas primeiras 24 horas indicado usá-las ininterruptamente ou de maneira frequente. Após o terceiro dia, diminuir a intensidade do uso das compressas até o término do período principal de recuperação por volta do sétimo dia.
  • Serão solicitadas revisões periódicas no consultório, durante os 2 primeiros meses, para acompanhamento da evolução pós-operatória e eventual limpeza interna nasal. Após este período, as revisões serão mais a posteriori até o primeiro ano do procedimento.
  • Recomenda-se a ingestão de dieta líquida e fria por 7 dias.

Como na natureza não temos um nariz igual ao outro, cirurgicamente também não existirá uma cirurgia igual à outra. Assim, não existirá cópia ou construção de modelos, mas se buscará alcançar o melhor resultado possível dentro dos limites e situações encontradas em cada caso. A partir da premissa que a rinoplastia é arte, é de suma importância que o paciente esteja de total acordo em relação aos esclarecimentos acima citados e com plena confiança no profissional escolhido para operá-lo.



Procedimentos
PLÁSTICA DE NARIZ

A rinoplastia é a cirurgia plástica mais antiga e está entre as mais realizadas em todo o...


Saiba Mais

AUMENTO DO MENTO

O mento é a região do queixo e como parte integrante da face, representa importante papel no...


Saiba Mais

ORELHA EM ABANO

A orelha em abano é uma alteração que se caracteriza por uma ausência de dobras na sua...


Saiba Mais

REJUVENESCIMENTO FACIAL

O envelhecimento da face é inevitável. Com o passar do tempo, a pele que recobre a face sofre...


Saiba Mais